Um arrasta-pé do futuro

Forró RED Light mescla forró com elementos eletrônicos, resultando em uma mistura sonora inovadora e diferente.

No tempo de seu Januário (pai de Gonzaga) faziam-se muitas festas no Araripe, que é uma região montanhosa. Daí a expressão ‘forró no pé da serra’, que hoje chamam ‘forró pé de serra’. A expressão era usada por Luiz Gonzaga para se referir ao seu local de infância e juventude, Exu (PE), que fica no pé da Serra do Araripe, também se referia às músicas relacionadas aos forrós desse local.

Já que introduzimos o fator histórico deste som, vamos falar do futuro? Imagine poder escutar este estilo tão nosso, com elementos eletrônicos?Imaginou? Não? Vos apresento, Forró RED Light, um arrasta-pé para o futuro. Projeto formado por Geninho Nacanoa e Ramiro Galas com uma proposta de inovação em um dos estilos mais consagrados no universo musical brasileiro. Entretenimento e diversão são o alicerce desse som que sopra novos ventos, trazendo uma pesquisa de música com versões e remixes de clássicos do forró, do xote e do frevo, mas com uma pitada diferente: um molho eletrônico. Bases eletrônicas e samples fazem o reboco da animação em um sistema forrobodó live PA. A proposta é de um som pegado, um fungado constante de cangote, com um arrastado de chinela buliçosa. Músicas do Brasil e do mundo se misturam ao som de um bom baião ou forró pé de serra.

A banda é de Brasília (DF) e de acordo com uma entrevista para o site ‘Tenho mais discos que amigos’ a dupla comenta que suas referências são um surfe de uma onda gigante que vêm de antes do Heitor Villa-Lobos, passa por ele, bate na tropicália, que refletiu no mangue beat, chegou no Movimento Cerrado no DF e continua. Essa onda é a de misturar, da forma que o tempo permite, o regional e o universal, Brasil e o mundo! Na cultura tradicional, a música indígena e a world music. Atualmente Geninho e Ramiro, estão de olho e bebendo, além das fontes divinas e maravilhosas das MBPs e das músicas regionais “de raiz”, de artistas como DJ Dolores, FurmigaDub, Chico Correa, Attooxxa, Lerry, Muntchako… E a lista continua.

Quer mais? Na mesma entrevista eles comentam sobre a cena independente: “Somos um projeto fruto desse novo contexto musical, cercado de home studios e redes sociais, uma combinação que tem relevado muita gente boa. Hoje a música não é só produto, é processo. Por isso achamos massa que cada vez mais uma galera foda aparece não só porque faz uma música massa, mas porque faz uma música massa de um jeito diferente!”.

Agora vamos escutá-los? Este set foi gravado no XAMA 2019 (https://xama.me/sobre-o-xama/) divulgado pelo Na Manteiga Rádio (https://namanteiga.com/Forro-Red-Light-Xama-2019) que fez todo mundo dançar na pista aquática do Na Manteiga Corona Sunset Hours no evento. Pela próxima hora um live cheio de sanfonas psicodélicas e um gostinho do que rolou neste réveillon da Bahia.

Forró Red Light @Xama 2019

https://www.instagram.com/forroredlight/
https://soundcloud.com/forroredlight

Compartilhar:

Leave a Comment