Madonna e a revolução do álbum Ray of Light

Feita por Henrique Barros.

Com influências no techno, acid house, drum & bass, trance, house, o álbum foi responsável por introduzir muitas pessoas à música eletrônica.

Madonna é, sem dúvidas, umas das artistas pop que mais utiliza a música eletrônica em seu repertório. Durante sua carreira ela vem experimentando e sintetizando ideias, conceitos e elementos da música eletrônica, transformando música pop em um híbrido instigante com excelente produção que agrada até os ouvintes mais exigentes. Entretanto existe uma linha do tempo para essas experimentações.

Separando as produções em antes e depois do álbum Ray of Light, seu sétimo álbum de estúdio. Não é que exista ausência desses elementos eletrônicos em trabalhos anteriores, temos, por exemplo, Bedtime Stories que é umas das suas melhores músicas “poptrônicas”, porém só foi a partir do Ray of Light que sua sonoridade tomou um rumo explicitamente eletrônico. Mesmo experimentando diversos outros ritmos e sonoridades, o elemento eletrônico quase sempre está presente. Antes do Ray of Light Madonna moldava sua música de acordo com as tendências e fazia isso muito bem, mas só após ser boicotada nos Estados Unidos por conta do seu Sexbook, ela decidiu seguir um caminho diferente e ousar em sua sonoridade, focando no público europeu. Numa época onde as paradas musicais eram dominadas por baladas românticas, Madonna chegou para introduzir música eletrônica que, até o momento, não funcionava no meio mainstream.

Em junho de 1997, era iniciada a produção do Ray of Light. Após experienciar a maternidade e se aprofundar em assuntos como hinduísmo, budismo e kabbalah, Madonna descobria o prazer da vida e passava por um processo de autoexaminação e autodescoberta, traduzido tudo isso em sua obra: música eletrônica com sentimentos. “Drug music without drugs”. – Comenta em estúdio durante a produção de Skin, quinta faixa do álbum. O álbum nasce com influências do techno, acid house, drum and bass, trance, house e com arranjos de guitarra por William Orbit, produtor que trabalhou junto com Madonna em todo o processo de produção e criação.

Ray of Light traz a mistura e dosagem perfeita de música, espiritualidade e sentimento. Juntos, Madonna e Orbit trouxeram ao mundo um daqueles álbuns atemporais e que mudaram o jogo. Madonna foi lançada de volta às paradas e William Orbit ao mainstream. A música eletrônica chegou a novos ouvidos com uma nova roupagem.

Compartilhar:

Leave a Comment