Batestaca terá edição de Carnaval com Noporn (SP) em Olinda

A festa começa na rua, segue o bloco e termina no aguardado after. Ao todo, somam mais de 16h de curtição.

Em Pernambuco você encontra o Carnaval mais diversificado e democrático do mundo: Frevo, coco, maracatu, caboclinho, manguebeat e suas variações, rock alternativo, brega e agora a música eletrônica tornam o estado um grandioso berço cultural e musical.

Agregando à causa, o projeto Batestaca resolveu fazer uma edição de Carnaval no dia 15 (sábado) em Olinda, começando ao meio-dia e terminando às 5h no dia seguinte. Ou seja, serão mais de 16 horas de muita música eletrônica no principal polo carnavalesco do Estado.

O projeto

A Batestaca nasceu como um braço eletrônico do famoso Som da Rural – carro psicodélico do Recife, responsável por disseminar, valorizar e incentivar a cultural local e o uso de espaços públicos.

Nesse sentido, com a Batestaca não poderia ser diferente. O espaço público é o seu principal terreno, valorizando a cena eletrônica local e ocupando a cidade com uma pista de dança indescritível.

A partir do momento que a cidade começa a dialogar com os novos estilos musicais, a música eletrônica ganha espaço e começa a ser pautada como integrante da multiculturalidade nordestina.

“A gente acredita que a Batestaca parte do pretexto de descentralizar a música eletrônica nacional, colocando ela em um ponto de integração entre a cidade, as pessoas e as sonoridades em todos os contextos que a música pode ocupar, desde o âmbito sociocultural até o festivo”, pontua Raquel Alves, co-fundadora da Batestaca.

Percebendo a necessidade de atentar-se aos movimentos eletrônicos locais e a infinita possibilidade de fazer novos ritmos e vertentes soarem pelos ambientes da cidade, o projeto conta com a Rural (modelo de carro da década de 60) como palco para as novas plataformas e tecnologias.

“Usar o Som na Rural como palco para isso faz todo sentido levando em conta o diálogo que o projeto vem traçando com a população, sendo desde sempre um ambiente de troca para a inovação da música em todos os contextos”, avalia Pedro de Renor, co-fundador da Batestaca.

Edição de Carnaval

Com mais de 16 horas de festa, a programação do evento foi dividida em três momentos:

1-Concentração (12h): Será no Sítio Seu Reis que fica por trás da Igreja do Carmo e irá contar com Léo, Nubian Queen, Kai b2b Vands (Dip DJs) e Bayma;

2-Saída do Bloco (17h): Responsável pela saída do Bloco, Libra comandará o cortejo, fazendo um percurso de 1,5 km que terminará em frente ao Recanto do Ingá (antigo Xinxim da Baiana) e local do after;

3-After (19h): Vão se apresentar Nadejda, Ultra, Geni b2b Mx, D’Renor e NoPorn, diretamente de São Paulo.

NOPORN

No ar desde o início dos anos 2000, quando tocavam em clubes de São Paulo, NoPorn estourou como um projeto de poesia recitada, marcada por batidas dançantes e versos sussurrados, revelando hits como Xingu e Baile de Peruas, do primeiro álbum da banda. Em 2016 eles lançaram “Boca”, segundo disco, que une sensualidade aos beats e vibe clubber do duo.

A apresentação conta também com os singles do disco mais recente, como Maiô da Mulher Maravilha, Cavalo e Tanto.

E você? Vai perder essa folia eletrônica pelas ladeiras de Olinda?

Ingressos: https://www.sympla.com.br/batestaca-de-carnaval—em-olinda__773781

Créditos foto: Pavoafotos

Compartilhar:

Not Another lança EP Nuklear do Etyen, artista libanês

Em conjunto com o lançamento foi feito um clipe baseado no David Lynch, com cenas cortadas da série Twin Peaks.

De uns tempos para cá o aparecimento de gravadoras anda crescendo de forma exponencial, por causa disso é fundamental ter muita autenticidade e coragem para fazer diferente. Um exemplo é a gravadora pernambucana Not Another, que surgiu justamente com a ideia de querer fazer algo fora do comum. Já renomada no mercado, lança seu 23° EP (Nuklear) do Etyen (artista da cidade de Beirute) que promete ser a personificação da energia bruta e caótica de marteladas sônicas.

Mas antes vamos conhecer melhor sobre a Not Another?

Indo de encontro à dificuldade que a região Nordeste tem em não estar no principal eixo da música eletrônica no Brasil e no processo exaustivo de mandar as músicas para os selos, George Gomes, Bernardo Morais e Fernando (Feemarx), decidiram criar a gravadora para mostrar que na região existe uma força criativa enorme no que se refere à música eletrônica. Seu conceito vai além de produzir festas e ser uma gravadora: com um trabalho robusto, a Not Another acredita que para ir além é necessário trabalhar de forma coletiva, por isso, atualmente, a equipe cresceu e conta com o Rodrigo Ilino, Vitor Moya e Davi Leventhal.

Agindo com muita cautela em qualquer lançamento, você consegue observar que cada detalhe é tudo muito bem pensado, desde o artista, suas produções, comunicação e identidade visual… Ações que fazem uma grande diferença em um mercado extremamente saturado. O Davi Leventhal, responsável pela criação de algumas capas de álbuns da gravadora, idealizou um único desenho e o partiu, dividindo-o para cada EP lançado. Não entendeu? Observe o time lapse feito pelo próprio artista:

Por isso e todo trabalho desempenhado, a Not Another foi indicada em 2017 como o melhor selo para gravadora pelo Rio Music Conference (RMC). A label brasileira nos convida a vivenciar uma experiência de interpretações no campo musical e visual que se torna marcante.

Sobre o EP Nuklear do Etyen

É evidente que o selo recifense e seus artistas demostram maturidade em todo processo criativo, e, em seu novo lançamento, o EP Nuklear do Etyen da cidade de Beirute (capital do Líbano), não foi diferente. O mesmo que já fez parte do Red Bull Music Academy (evento mundial de workshops e festivais), se descreve como um músico, produtor musical e “filósofo das sortes”, encontrando grande poder pessoal e político no ato da expressão musical. Suas apresentações foram locais e internacionais, como no Sonar Festival (ES), Mutek (festival internacional de música que ocorre em diferentes localidades), salas de concerto, festas de sua cidade e até em clubes de Montreal, Londres e Dubai.

O artista que já lançou pela gravadora, é descrito como “um mago da eletrônica” onde produz sons de várias fontes, seja através de lendas libanesas como o icônico Wadih El Safi ou trabalhando como uma variedade eclética de músicos internacionais. Etyen cria um universo sonoro único que é ao mesmo tempo global e enraizado em sua cena local.

Em conjunto com a produção e insistindo na ideia da busca pelo diferente, a gravadora confeccionou um belíssimo clipe baseado em David Lynch, com cenas cortadas da série Twin Peaks. David é um diretor, produtor, artista visual, músico e ocasional ator estadunidense. Conhecido por seus filmes surrealistas, ele desenvolveu seu próprio estilo cinematográfico, que foi chamado de “Lynchiano”, que é caracterizado por imagens de sonhos e meticuloso desenho sonoro, sendo assim a cara do selo e totalmente conectado à produção do Etyen. Confira abaixo o clipe:

No EP pode-se observar também um remix da faixa feita pelo Rolbac, artista renomado no cenário do Techno libanês, com apresentações no Boiler Room, é conhecido pelo seus LIVES, que impressiona qualquer amante da música. No seu lançamento ele consegue ter uma precisão musical vinculada a uma força magnética com uma pitada da sensação oriental antiga inspirada também por suas raízes. É como se os sons pudessem vir de qualquer lugar, criando camadas de sonidos bem trabalhados. É puro acid techno, cheio de psicodelia. É, definitivamente, uma viagem musical!

Quer acompanhar a gravadora?

https://www.facebook.com/notanothermusic/

https://www.instagram.com/notanothermusic/

Compartilhar: